Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

7 de Setembro: Organizar a luta estudantil para defender a educação e o Brasil

Confira artigo escrito pelo presidente da UNE Iago Montalvão

7 de Setembro será um novo dia de luta para os estudantes de todo o país. Confira abaixo artigo assinado pelo presidente da UNE sobre a importância da mobilização.

7 de Setembro: Organizar a luta estudantil para defender a educação e o Brasil

Os estudantes brasileiros têm sido o principal setor da sociedade brasileira a se mobilizar nas ruas, e também nas universidades evidentemente, contra as medidas antipopulares do governo Bolsonaro especialmente em relação à educação, que com os cortes de investimentos nessa área já tem prejudicado o funcionamento das pesquisas e do funcionamento das instituições federais de ensino superior do nosso país.

Mas mesmo diante do aprofundamento de tantos ataques, não houvesse toda essa mobilização estudantil, certamente os ataques seriam muito mais profundos. Os dias 15 e 30 de Maio e o dia 13 de Agosto tem sido fundamentais para construir um contraponto à um projeto de obscurantismo e destruição social que Bolsonaro representa, seja na defesa da educação, mas que também deve servir como freio pra os avanços destrutivos e acúmulo de forças para uma virada do povo.

Portanto é indispensável que continuemos ativos, levando em conta que nossos principais objetivos devem estar em torno de aglutinar mais pessoas, especialmente pessoas que por ventura estejam participando pela primeira vez de algum movimento político-social, convencer cada vez mais estudantes de se organizarem permanentemente e manter uma presença de massa nas ruas, assembleias e atos, para exercer pressão social e fazer o governo recuar.

Os cortes na educação tem atingido de maneira cada vez mais evidente o funcionamento das nossas universidades e a capacidade de realizarmos pesquisa. Diversas universidades já declararam que podem interromper suas atividades em agosto ou setembro, a CNPQ e a CAPES estão absolutamente esvaziadas prejudicando diretamente o pagamento de bolsas além das que já foram cortadas, e diante de tudo isso o governo ainda admite que parte do recurso bloqueado foi utilizado para pagamento de emendas parlamentares com vistas a garantir a aprovação da Reforma da Previdência. E surgem ainda com a proposição do Future-se como um gravíssimo ataque à autonomia universitária e um verdadeiro caminho à privatização da nossa educação pública superior.

Esse ultraje à educação e ao povo brasileiro se estende às ameaças à nossa democracia, com as declarações e ações absurdas e autoritárias de Bolsonaro, que inclusive atentam à memória de tantos estudantes que foram assassinados e torturados na ditadura militar. E também à nossa soberania nacional e ao meio ambiente por meio da destruição da Amazônia respaldada por uma negação da própria ciência que elabora os dados necessários para impedir o desmatamento.

Portanto, mais uma vez na história do Brasil, os estudantes tem sido chamados a cumprir seu papel de protagonismo nas lutas em defesa do nosso país. E por isso precisamos reforçar nossa organização nas bases do movimento estudantil, realizar assembleias, reuniões, plenárias que convoquem agendas de divulgação dos atos dia 7 de Setembro em conjunto com debates acerca do Future-se, dos cortes, e do papel da universidade.

O dia 7 de Setembro precisa ser um dia em que irá desaguar toda indignação da população brasileira para que possamos transformar todo esse potencial em uma imensa força em defesa do povo brasileiro, guiado pela bandeira ampla da educação.

Rumo à uma grande luta no 7 de setembro, mobilizar e fortalecer a luta dos estudantes, organizar assembleias e agendas de divulgação! Unidos venceremos!

Iago Montalvão

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo