Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Na sala de aula é que se muda uma nação! Confira a programação do 57ª Conune

11/06/2019 às 17:10, por Cristiane Tada.


Debates, GTs, atividades culturais, atos políticos e passeatas vão mobilizar milhares de estudantes no maior encontro do movimento estudantil brasileiro 

Do dia 10 (quarta-feira) a 14 (domingo) de julho 2019, a Universidade de Brasília (UnB) na capital federal vai receber o maior encontro do movimento estudantil brasileiro. São esperados cerca de 10 mil estudantes de todas as regiões do país para debater os rumos das lutas estudantis diante essa conjuntura difícil de retrocessos no setor da educação. Serão quatro dias de debates, trocas de experiências, de reflexão e balanço dessa gestão à frente da UNE, bem como o momento de votar e eleger a próxima diretoria que vai liderar a entidade pelos próximos dois anos.

Na programação estão 24 debates na quinta (11); 12 grupos de discussão na sexta (12); dois atos políticos: em defesa da universidade pública e em homenagem aos 40 anos do Congresso de Reconstrução da UNE; uma passeata na sexta (11) na Esplanada dos Ministérios; atividades culturais e a plenária final na tarde de sábado no Ginásio Nilson Nelson que finaliza o encontro com a eleição da nova presidência.

Na pauta temas que refletem a preocupação dos estudantes com o futuro da educação em todos os níveis escolares, a instabilidade entre os poderes da república e o futuro do governo Bolsonaro até o cuidado com o meio ambiente, a cultura, a democracia e a segurança pública. Todo e qualquer estudante inscrito pode participar e ter direito a voz durante as atividades, mas só os delegados eleitos tem a voto.

“Diante esse cenário de ameaça e corte na nossa educação os estudantes brasileiros estão muito mobilizados. Por isso estamos nos preparando porque este pode ser um dos maiores Conunes da história da UNE em participação estudantil” , destacou a presidenta da UNE, Marianna Dias.

10 (quarta-feira) julho 2019

18h às 19h – Festival da Democracia Mestre Moa.

Atividade: Roda de capoeira.

Convidado: Grupo Nzinga. Local: Centro Comunitário Athos Bulcão da Universidade de Brasília-UnB.

18h às 21h – Ateliê Livre da Teciteca.

Convidados: Priscila Lolata (professora do departamento de Artes da Universidade Federal da Bahia-UFBA e ex-coordenadora do CUCA da UNE), Pedro Augusto Colletto Vieira Silva (estudante de Artes da Universidade Federal da Bahia-UFBA), Gustavo Oliveira Moreira (estudante de Artes da Universidade Federal da Bahia-UFBA).

Local: Centro Comunitário Athos Bulcão da Universidade de Brasília-UnB.

 

19h às 21h – Abertura do 57º Congresso da União Nacional dos Estudantes-UNE e lançamento da campanha “Mais livros e menos armas”.

Convidados(as): Marianna Dias (presidenta União Nacional dos Estudantes-UNE), Jessy Dayane (vice-presidenta da UNE), Mario Magno (secretário geral da UNE), Flávia Calé (presidenta da Associação Nacional dos Pós-Graduandos-ANPG), Pedro Gorki (presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas-UBES), Antônio Guedes Rangel Júnior (presidente da Associação Brasileira dos Reitores das Universidades Estaduais e Municipais-Abruem), Fátima Gavioli (secretária de Educação do estado de Goiás e representante do Conselho Nacional de Secretários de Educação-Consed), Reinaldo Centoducatte (presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior no Brasil-Andifes), Clarice Menin (presidente do Diretório Central dos Estudantes da Universidade de Brasília-DCE UnB), Jerônimo Rodrigues da Silva (presidente do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica-Conif), (representante do governo do Distrito Federal-DF).

Local: Centro Comunitário Athos Bulcão da Universidade de Brasília-UnB.

21h às 23h: Batalha de MCs.

Local: Teatro de Arena da Universidade de Brasília-UnB.

11 (quinta-feira) julho 2019

10h às 17 – Oficina Tema: Ateliê Livre da Teciteca.

Convidados(as): Priscila Lolata (professora do departamento de Artes da Universidade Federal da Bahia-UFBA e ex-coordenadora do CUCA da UNE), Pedro Augusto Colletto Vieira Silva (estudante de Artes da Universidade Federal da Bahia-UFBA), Gustavo Oliveira Moreira (estudante de Artes da Universidade Federal da Bahia-UFBA). Local: Espaço CUCA no Instituto Central de Ciências-ICC da Universidade de Brasília-UnB.

Tema: Divisor da Lygia Pape.

Local: Espaço CUCA no Instituto Central de Ciências-ICC da Universidade de Brasília-UnB.

10h às 13h – Debates.


Tema 1:  A marcha conservadora contra o conhecimento acadêmico, a ciência, tecnologia e as ameaças à autonomia universitária.

Convidados(as): Flávia Calé (presidenta da Associação Nacional de Pós Graduandos-ANPG), Acioli Cancellier (professor aposentado do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais-INPE), Leidiano Farias (direção nacional da Consulta Popular-CP), Nilson Araújo (diretor da Fundação Cláudio Campos).

Ementa: Em apenas seis meses, o governo Bolsonaro já disparou diversos ataques contra a ciência e educação brasileiras. Os cortes do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, com a redução de 42,2% do orçamento previsto para 2019, estão entre os mais significativos entre todos os ministérios. Este é considerado o pior orçamento da década para a pasta. Já os cortes de 30% do orçamento anunciados pelo ministro Weintraub para o Ministério da Educação prejudicará a autonomia universitária e a vida de milhares de estudantes. Neste debate, que reúne representantes de importantes entidades acadêmicas do Brasil, serão discutidas as consequências desses ataques e formas de resistir ao sucateamento da universidade e da pesquisa no atual governo.

Local: Auditório do Instituto de Letras (120 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 2: 80 tiros não dá mais: O modelo de segurança pública, o pacote de Sérgio Moro e a violência policial contra o povo periférico do Brasil.

Convidados(as): Orlando Silva (deputado federal PCdoB-SP), Marcelo Freixo (deputado federal PSOL-RJ), Paulo Teixeira (deputado federal PT-SP), Paola Bettamio (professora de Direito Penal e Processo Penal da universidade Estácio de Sá), Simone Nascimento (representante do Movimento Negro Unificado-MNU).

Ementa: Episódios que chocaram o Brasil como o assassinato do músico Evaldo Santos e do catador Luciano Macedo, atingidos em um ataque com mais 80 tiros do exército no Rio de Janeiro, escancaram a urgência de um outro modelo de segurança pública que proteja o povo periférico ao invés de exterminá-lo. O suposto “pacote anticrime” de Sérgio Moro, que poderá justificar a reação desproporcional de policiais, culminando em mais execuções e na impunidade dos responsáveis, reforça a cultura de criminalização e extermínio de negros e pobres no país. Este debate traz o olhar de especialistas e autoridades sobre o tema, discutindo caminhos para enfrentar essa revoltante realidade e construir alternativas.

Local: Centro Comunitário Athos Bulcão (1.500 pessoas) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 3: Jovens mulheres na política: A ocupação de espaços e a formação de novas lideranças.

Convidados(as): Taires Santos (dirigente do PT-SE), Indira Xavier (Movimento de Mulheres Olga Benário), Isolda Dantas (deputada estadual PT-RN), Isadora Cortez (representante da União da Juventude Socialista-UJS), Fernanda Melchionna (deputada federal PSOL-RS).

Ementas: A luta das mulheres brasileiras pela participação na política é longa: vem desde a conquista do voto em 1932 e persiste até hoje, diante da sub-representatividade nos espaços de poder. As mulheres ainda são apenas 15% do Congresso Nacional. As jovens que ocupam esses espaços são uma força de resistência e representam uma trincheira contra as forças retrógradas e misóginas do governo Bolsonaro. Neste debate, serão discutidos assuntos como o avanço ainda que pequeno da presença feminina no Congresso (de 10% para 15% depois das últimas eleições) e os desafios que se colocam a essas novas lideranças no atual cenário político brasileiro.

Local: Auditório do Instituto de Ciências Sociais (96 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 4: Ensino privado: O financiamento estudantil como forma de acesso ao ensino superior.

Convidados(as): Perpétua Almeida (deputada federal PCdoB-AC), João Otávio Bastos Junqueira (presidente da Associação Brasileira das Instituições Comunitárias de Educação Superior-ABRUC), Natanael Sarmento (presidente da Associação dos Docentes da Universidade Católica de Pernambuco-Adunicap), Pedro Rafael (diretor do Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal-SINPROEP DF).

Ementa: O Financiamento Estudantil (FIES) é uma alternativa para o acesso ao ensino superior no Brasil. No entanto, após a reformulação do programa, a oferta de financiamento do programa despenca vertiginosamente. Neste debate, serão discutidos temas como a atual dificuldade dos estudantes conseguirem adesão ao FIES, a importância dos contratos serem acompanhados da regulamentação ensino privado e a qualidade da educação ofertada por essas instituições no país.

Local: Auditório da Faculdade de Direito (180 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 5: Os estudantes e a educação em tempos de resistência: o movimento estudantil na ditadura militar (1964/1985) e a luta contra o autoritarismo de Bolsonaro.

Convidados(as): Angélica Muller (historiadora, professora da Universidade Federal Fluminense-UFF e autora do livro “O movimento estudantil na resistência à ditadura 1969-1979”), Silvio Tendler (cineasta), Valério Arcary (professor do Instituto Federal de São Paulo), Jorge Venâncio (médico e presidente da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa-CONEP), Júlio Turra (representante da Central Única dos Trabalhadores-CUT).

Ementa: Em tempos de violência institucional como os longos 21 anos da ditadura militar brasileira, os estudantes sempre foram uma força de resistência frente ao cerceamento das liberdades e contra os retrocessos, principalmente na educação. Mais de três décadas se passaram desde a redemocratização e agora o Brasil enfrenta novamente a truculência no poder, com ameaças às liberdades individuais e o autoritarismo da figura de Bolsonaro, que busca calar as vozes dissonantes ao seu governo. Neste debate, os convidados lançarão seus olhares sobre a história do movimento estudantil brasileiro, destacando a resistência estudantil durante o regime militar e traçando um paralelo com os dias atuais.

Local: Auditório 10 do Instituto Central de Ciências-ICC (162 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 6: Guerras híbridas, law fare e as novas ameaças à democracia.

Convidados(as): Olivia Carolino (coordenadora do Trabalho no Instituto de Pesquisa Tricontinental de Pesquisa Social), Daniel Carvalho Valente (advogado e vencedor do prêmio Sepúlveda Pertence do Instituto Brasileiro de Direito Eleitoral), Taliria Petrone (deputada federal PSOL-RJ), Jones Manoel (historiador), Rubens Diniz (assessor da presidência do PCdoB).

Ementa: O termo “guerras híbridas” foi cunhado para designar a estratégia que envolve núcleos poderosos como os EUA para desestabilizar governos a partir da mobilização de grandes manifestações e manipulação de massas para fins políticos. O resultado pode ser um golpe (como o ocorrido contra a presidenta Dilma Rousseff) ou um conflito de natureza não convencional. Já o termo lawfare corresponde à manipulação das leis e dos procedimentos jurídicos para fins de perseguição política, como na ação ilegal do então juiz Sérgio Moro e procuradores do Ministério Público em ações da operação Lava Jato. Este debate reunirá o olhar de diferentes personagens sobre essas duas ameaças à democracia brasileira.

Local: Auditório Beijódromo (250 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 7: As consequências da destruição da Lei Rouanet e das políticas públicas de financiamento da cultura.

Convidados(as): Juca Ferreira (secretário de Cultura de Belo Horizonte e ex-ministro da Cultura), Manoel Rangel (cineasta e ex-presidente da Agência Nacional do Cinema-ANCINE), Patricia de Matos (Ex-coordenadora do Circuito Universitário de Cultura e Arte da União Nacional dos Estudantes-CUCA da UNE).

Ementa: A Lei Rouanet, principal mecanismo de incentivo à cultura no Brasil, sofreu um grave desmonte após Bolsonaro assumir o governo, incluindo a redução da captação de R$ 60 milhões para R$ 1 milhão por projeto. A retirada de recursos, a inviabilização de alguns setores como o cinema nacional e outras medidas configuram cenário grave para a produção cultural 4 brasileira. Neste debate, representantes da área da cultura abordam as consequências do encolhimento da Lei que, entre 1993 e 2018, foi responsável por movimentar quase R$ 50 bilhões da economia brasileira.

Local: Auditório Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares-CEAM (60 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 8: Os retrocessos do MEC de Bolsonaro na democratização do acesso e nas políticas de permanência e assistência estudantil.

Convidados(as): Cesar Augusto da Ros (coordenador do Fórum Nacional de Pró-reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis-Fonaprace), Cássia Virgínia (pró-reitora de Ações Afirmativas e Assistência Estudantil da Universidade Federal da Bahia-UFBA), Matheus Gomes (historiador e militante do movimento negro), Maria Clara Delmonte representante do DCE Mário Prata da Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ).

Ementa: Apesar de rebatidos pelo MEC e por Bolsonaro, com má fé, contas erradas e vídeos com chocolates, os cortes na Educação anunciados pelo ministro Weintraub são bastante graves. Afetam as 70 instituições federais de todo o país e mais de um milhão de estudantes. Os cortes nas despesas discricionárias acertam em cheio o custeio básico de água, luz, limpeza, bolsas de auxílio e assistência estudantil, além de insumos para pesquisa. As bolsas, que já estavam em queda desde 2014, correm o risco de desaparecer em diversas universidades. Neste debate, serão abordados os impactos dos cortes, as políticas de permanência, o sucateamento da universidade brasileira e o retrocesso na democratização do acesso ao ensino superior.

Local: Auditório XX do Instituto Central de Ciências-ICC da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 9: O Plano Nacional de Educação-PNE, a sangria do financiamento educacional e a nova etapa da luta de estudantes e professores no Congresso Nacional.

Convidados(as): Alice Portugal (deputada federal PCdoB-BA), Guilherme Ribeiro (coordenador da Rede de Cursinhos Podemos Mais), Aliel Machado (deputado federal PSB-PR), Reinaldo Centoducatte (presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior-Andifes), Pedro Uczai (deputado federal PT-SC), Juliano Medeiros (Presidente nacional do PSOL).

Ementa: O Plano Nacional de Educação (PNE), que estabelece medidas para a elevação dos índices educacionais no país até 2024, está com 80% das suas metas estagnadas. Com os cortes do MEC, corre o risco de não ser cumprido dentro do prazo. Dentre as 20 diretrizes do Plano, 16 ainda não foram cumpridas e quatro, parcialmente atingidas. Neste debate, serão abordados os obstáculos que se colocam para o cumprimento do PNE – como a queda de recursos, o teto de gastos previstos pela Emenda 95 e os recentes cortes de Bolsonaro – e como a luta de estudantes e professores se reconfigura no atual cenário político.

Local: Auditório Facom (100 lugares) do Instituto Central de Ciências-ICC da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 10:  Da afirmação das identidades raciais ao genocídio da juventude negra.

Convidados(as): Flávia Oliveira (jornalista da Globo News), Ângela Guimarães (presidenta da União de Negros Pela Igualdade-UNEGRO), Liliane Oliveira (Marcha Mundial de Mulheres-MMM), Lídice da Mata (deputada federal PSB-BA), Josemar Carvalho (coordenador da rede EMANCIPA de educação popular).

Ementa: Jovens, negros, moradores das periferias do país são as principais vítimas de mortes violentas no Brasil. Segundo o Atlas da Violência, estudo conduzido pelo Ipea, em 2017, 75,5% das vítimas de homicídio foram negros. A gravíssima desigualdade racial e o racismo estrutural refletido nos indicadores de violência letal no Brasil será um dos temas deste debate. A conversa também abordará a afirmação das identidade racial da negritude e a unidade da juventude negra como uma das saídas para denunciar a exclusão, o preconceito, ganhar novos espaços na sociedade e resistir durante o próximo período.

Local: Auditório XX do Instituto Central de Ciências-ICC da Universidade de Brasília-UnB.


Tema 11: A instabilidade entre os poderes da república e o futuro do governo Bolsonaro.

Convidados(as): Humberto Costa (senador PT-PE), Arlete Sampaio (deputada distrital PT-DF), Paulo Pimenta (Deputado federal PT-RS e líder do PT na Câmara), Vanessa Grazziotin (ex-senadora PCdoB-AM), Alessandro Molon (deputado federal pelo PSB-RJ).

Ementa: O primeiro semestre do governo de Bolsonaro foi marcado pelos duros ataques à democracia e aos direitos, assim como pela evidente incapacidade de organizar e presidir uma coalizão estável. Com o objetivo de pôr fim à crise institucional entre os poderes, Bolsonaro propôs a assinatura do “Pacto pelo Brasil”, um protocolo em defesa de ideias comuns entre ele e os presidentes da Câmara, do Senado e do STF, em relação a vários temas da agenda política brasileira. Após críticas, a ideia do pacto foi adiada sem previsão de um novo entendimento. A instabilidade entre os poderes da República será tema deste debate, que abordará também o futuro do atual governo e o papel da sociedade civil organizada e dos movimentos sociais.

Local: Auditório 9 do Instituto Central de Ciências-ICC (248 lugares) da Universidade de Brasília-UnB. Tema 12: O papel da extensão na consolidação

Tema 12: O papel da extensão na consolidação do vínculo entre sociedade e universidade.

Convidados(as): Olgamir Amancia (decana de Extensão da Universidade de Brasília-UnB), Adriana Marmori (coordenador do Fórum de Pró-reitores de Extensão das Instituições Públicas de Educação Superior Brasileiras-Forproex), Tulio Lopes (Historiador ).

Ementa: A extensão universitária representa a união entre a universidade à comunidade, possibilitando o compartilhamento do conhecimento adquirido por meio do ensino e da pesquisa. Neste debate, representantes da comunidade acadêmica abordarão o papel da extensão, uma das principais funções sociais da Universidade, que tem por objetivo promover o desenvolvimento social e fomentar projetos que levam em conta os saberes e fazeres populares. Os diferentes convidados e convidadas discutirão o papel da extensão para a promoção dos valores democráticos, da igualdade de direitos, da sustentabilidade ambiental e social.

Local: Auditório XX do Instituto Central de Ciências-ICC da Universidade de Brasília-UnB.

13h às 15h – Aulão de Passinho.

Convidados: CUCA de Pernambuco.

Local: Instituto Central de Ciências-ICC da Universidade de Brasília-UnB.

15h às 18h – Debates.

Tema 13: Emprego e Reforma da Previdência: Os ataques a Previdência Pública e o Sistema de Proteção Social no Brasil. (o movimento tem usado a palavra “Aposentadoria”)

Convidados(as): Adilson Araújo (presidente da Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil-CTB), Juliane Furno (economista e assessora de Formação da Central Única dos Trabalhadores-CUT), Luizianne Lins (deputada federal PT-CE), Leonardo Péricles (presidente da Unidade Popular pelo Socialismo-UP), Jandira Feghali (deputada federal PCdoB-RJ). Ementa: A reforma da Previdência proposta pelo governo Bolsonaro, que ataca gravemente o direito às aposentadorias, pretende ser a forma mais cruel de transferência dos recursos dos pobres para o mercado e o sistema financeiro. Aumento no tempo de contribuição, retrocessos para mulheres, trabalhadores rurais, pessoas com deficiência são alguns dos retrocessos desse pacote. A reforma será uma ferida aberta em um país de graves desigualdades regionais – onde a expectativa de vida é de 78,4 anos em Santa Catarina e 70 no Maranhão – altos índices de desemprego e de informalidade. Este debate tem como objetivo refletir sobre a importância do sistema de proteção social no Brasil e sobre a mobilização contra as mudanças na Previdência.

Local: Auditório 9 do Instituto Central de Ciências-ICC (248 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 14: O projeto do MEC e o menosprezo à universidade pública brasileira.

Convidados(as): Yuri Brito (professor de sociologia), Antonio Gonçalves Filho (presidente do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior-ANDES), Margarida Salomão (deputada federal PT-MG), Gervásio Maia (deputado federal PSB-PB), Carlos Lopes (Redator chefe do jornal Hora do Povo), Juliana de Souza (mestranda em educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul-URGS).

Ementa: O contingenciamento de 30% do orçamento anual das universidades federais é uma clara represália às vozes dissonantes ao governo Bolsonaro. Inicialmente justificado com o argumento de perseguição à suposta “balbúrdia” em instituições públicas de ensino superior, o contingenciamento estendeu-se para toda a rede, demonstrando o menosprezo do governo federal e do Ministério da Educação com o acesso e qualidade das universidades brasileiras. Este debate reunirá autoridades e especialistas que discutirão o cenário de supressão do ensino superior gratuito e os mecanismos de resistência a esse desmonte.

Local: Auditório 18 do Instituto Central de Ciências-ICC (135 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 15: Os limites do ensino a distância e o movimento pela escolarização em casa no Brasil.

Convidados(as): Analise da Silva (professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais-UFMG), Madalena Guasco (Coordenadora da Faculdade de Educação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo-PUC/SP).

Ementa: O Ensino à Distância (EaD) ferramenta importante para a democratização do acesso ou formação de estudantes em condições de distância presencial, tornou-se também artimanha para o sucateamento de cursos e disciplinas do ensino privado, truque para redução de custos e lucros dos tubarões de ensino. O que fazer diante de tal cenário? Essa é uma das questões que guiarão este debate, que abordará também o Projeto de Lei apresentado em abril de 2019 para regulamentar o Ensino Domiciliar no Brasil. A proposta prevê que estudantes possam ser educados apenas pelos pais ou responsáveis, desconsiderando a socialização dentro das escolas.

Local: Auditório do CET (150 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 16: As ocupações urbanas e a organização popular na resistência das grandes cidades.

Convidados(as): Inácio Arruda (Secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Ceará-Secitece), Eliane Martins (direção nacional do Movimento de Trabalhadores e Trabalhadoras por Direitos-MTD), Getúlio Vargas (presidente da Confederação Nacional das Associações de Moradores-CONAM), Everton Gomes (secretário de Comunicação do PDT), Maria Zezé (representante do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto-MTST).

Ementa: Apesar de a Constituição Federal prever que toda propriedade deve estar condicionada a sua função social, não é raro verificar uma vasta quantidade imóveis ociosos nas cidades brasileiras, prédios e grandes espaços à revelia da especulação imobiliária, enquanto milhares de famílias seguem sem moradia vivendo nas ruas. Este debate busca a reflexão acerca do problema da moradia no Brasil e da resistência de movimentos sociais urbanos diante da crise imobiliária nas metrópoles, com a sugestão de lutas e alternativas para a superação desse quadro.

Local: Auditório do Instituto de Biologia (130 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 17: A nova geopolítica global: O papel dos Estados Unidos e os ataques a América Latina.

Convidados(as): Luís Manuel Rebelo Fernandes (professor do Instituto de Relações Internacionais-IRI da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro-PUC Rio), Freddy Efraín Meregote Flores (representante do governo da Venezuela no Brasil), Zé Maria (presidente da Federação Única dos Petroleiros-FUP), Valter Pomar (historiador e professor de Relações Internacionais da Universidade Federal do ABC-UFABC), Edmilson Costa (professor da Universidade Nove de Julho-Uninove), Ana Maria Prestes (cientista política e escritora), Alejandro Malmierca Castano (embaixador de Cuba em exercício).

Ementa: A ofensiva desencadeada pelo governo de Donald Trump contra a Venezuela, o endurecimento do bloqueio econômico contra Cuba e o apoio dos Estados Unidos a forças de direita e extrema-direita na América Latina causam alerta a todos do campo democrático e progressista no continente. Este debate buscará o encontro de diferentes olhares sobre o tema, situando o Brasil nesta nova geopolítica global.

Local: Auditório 10 do Instituto Central de Ciências-ICC (162 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 18: A diversidade sexual diante dos desafios da democracia, da cultura, da escola e da universidade brasileira.

Convidados(as): Andrey Lemos (presidente da União Nacional LGBT UNA-LGBT), Duda Salabert (professora e criadora da ONG Transvest), David Miranda (deputado federal PSOL-RJ).

Ementa: O direito ao exercício das liberdades individuais e da diversidade sexual no Brasil estão está sob ataque no governo Bolsonaro. Episódios como o veto presidencial à publicidade do Banco do Brasil que contemplava a diversidade, a misógina e homofóbica declaração do presidente a respeito do turismo sexual no Brasil são apenas dois dos exemplos que ilustram o preocupante cenário no país para a afirmação das liberdades e dos direitos humanos. Neste debate, os convidados vão expor suas opiniões sobre a realidade da população LGBT no país e suas formas de resistência.

Local: Auditório do Instituto de Ciência Política (90 lugares) da Universidade de Brasília-UnB

Tema 19: O ensino médio sob censura e a perseguição autorizada a estudantes e professores do Brasil.

Convidados(as): Pedro Gorki (presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas-UBES), Carlos Guimarães (professor da rede estadual de São Paulo), Gabriel Magno (professor de Física e Secretário Sindical da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação-CNTE), Rafael Pires (professor da rede estadual de Alagoas), Érico Michel (membro do Conselho Estadual de Educação do Rio Grande do Sul-RS).

Ementa: Ao autorizar a perseguição a professores, projetos de lei baseados no movimento “Escola sem Partido” amordaçam o conhecimento escolar e ameaçam os profissionais da educação brasileira, o que vai na contramão da postura de países com políticas educacionais de sucesso. Além disso, essas leis censuram os estudantes que querem participar dos grêmios estudantis e violam as liberdades constitucionais. Neste debate, estarão reunidos docentes, secundaristas e universitários que discutirão os impactos da lei da mordaça e a necessidade de conscientizar a sociedade de seus riscos.

Local: Auditório do Instituto de Letras (120 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 20: O Brasil a preço de banana: entreguismo e destruição da soberania nacional.

Convidados(as): Ciro Gomes (ex-governador do Ceará), João Pedro Stédile (Direção Nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra-MST), Guilherme Boulos (Frente Povo Sem Medo), João Campos (deputado federal PSB), Roberto Robaina (vereador em Porto Alegre PSOL), Rogério Carvalho (senador PT-SE), Luciana Santos (vice-governadora de Pernambuco e presidenta do PCdoB).

Ementa: A recente conjuntura de degradação da democracia brasileira, crescente nos últimos anos, teve como fenômeno constante a revelação despudorada dos interesses de rebaixamento do patrimônio nacional e da soberania brasileira. O ultraliberalismo covarde, as políticas de privatizações, concessões civis e militares, a submissão vergonhosa ao poderio 9 econômico internacional trazem risco ao Brasil e precisam ser combatidas. Este debate reúne autoridades, representantes da política, dos movimentos sociais e da universidade para refletirem, junto aos estudantes, sobre o atual cenário de entreguismo do país. Também apontará as lutas e ações mais urgentes, junto a governos e a sociedade, para a construção de um Brasil soberano.

Local: Centro Comunitário Athos Bulcão (1.500 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 21: A verdade como direito básico e o combate às notícias falsas nas redes sociais.

Convidados(as): Lola Aronovich (blogueira feminista e pedagoga), Rodrigo Mondego (advogado e membro da comissão de Direitos Humanos da ordem dos Advogados do Brasil-OAB), Ronaldo Pagotto (Jornal Brasil de Fato), Vivian Mendes (Jornal A Verdade).

Ementa: Eleito com o uso massivo da estratégia de disparo de notícias falsas nas redes sociais e em aplicativos de mensagem instantânea, o governo Bolsonaro passa a viver sob a sombra da CPMI das “fake news”. Apesar disso, o universo bolsonarista prossegue com a agenda das informações falsas nas redes sociais, buscando a difamação e perseguição de adversários, o linchamento de pessoas públicas e a fervura do ambiente democrático a níveis perigosos.. Neste debate, serão abordados os impactos da cultura da desinformação para a Brasil e a escalada do discurso conservador e de ódio nas redes sociais.

Local: Auditório da Faculdade de Direito 180 (lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 22: A realidade da educação no campo e da interiorização do ensino brasileiro.

Convidados(as): Aristides Veras dos Santos (presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura-CONTAG), Erivan Hilário (representante do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra-MST), Ana Pattê (representante da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil-APIB), Kelly dos Santos Araújo (educadora popular e quilombola).

Ementas: O ensino no interior e no campo segue como um desafio árduo no Brasil em pleno século XXI. Regiões mais pobres e afastadas, esquecidas pelo poder público, são as que mais sofrem. Salas de aula precárias e abafadas, sem nenhuma climatização, serviço irregular de abastecimento de água e energia nas escolas, merenda escolar escassa ou inexistente e até carência de professores e gestores é comum em algumas cidades no país. Por outro lado, movimentos sociais e cooperativas populares desenvolvem iniciativas valiosas para a democratização do ensino. Esse será o tema deste debate, com a participação de especialistas no tema da educação no interior do país e no campo.

Local: Auditório Instituto de Ciências Sociais (96 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 23: Formação profissional da juventude e as transformações no mundo do trabalho.

Convidados(as): Léo Bijos (secretário de Juventude do Distrito Federal), Luiza Bezerra (secretária nacional da Juventude da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil-CTB), Luis Fernandes (historiador), Ronald Luiz (secretário nacional de Juventude do PT), Vera Lúcia (Presidenta do PSTU-SE e ex-candidata à presidência da república).

Ementa: O mundo do trabalho vem sofrendo uma série de transformações, ao longo dos últimos anos, marcadas pelo uso das novas tecnologias, dos novos arranjos produtivos e das mudanças no capitalismo internacional. A precarização da mão de obra, a baixa formação profissional e a falta de políticas públicas ainda são desafios para a promoção profissional dos jovens. Neste debate, serão abordadas essas mudanças e o papel dos movimentos de juventude diante da luta pelo direito ao trabalho digno para todas e todos.

Local: Auditório do departamento de Engenharia Mecânica/Faculdade de Tecnologia (150 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 24: A lama, o lucro e a morte no noticiário ambiental do Brasil.

Convidados: Gilson Reis (vereador de Belo Horizonte PCdoB), Áurea Carolina (deputada federal PSOL-MG), Sônia Guajajara (coordenadora nacional da Articulação de Povos Indígenas do Brasil-APIB), Carine Guedes (coordenadora do Movimento dos Atingidos por Barragens de Minas Gerais-MAB- MG), Jean-Paul Prates (senador PT-RN).

Ementa: O rompimento das barragens de mineração Mariana e de Brumadinho, em 2015 e 2019 respectivamente, resultou nas maiores tragédias ambientais e humanas do país. Além de todas as mortes e da negligência criminosa em nome do lucro, tais eventos também atingiram milhares de animais do ecossistema, rios inteiros e seus afluentes, com um desastre para a natureza do país. Neste debate, serão abordados esses episódios e a atual posição do ministro do meio ambiente diante da atividade predatória do solo e dos recursos brasileiros.

Local: Auditório da Faculdade de Comunicação (100 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 25: Poderes, segredos e democracia: A publicação de fatos de interesse público e a informação como direito básico. Convidados(as): Glenn Greenwald (escritor, advogado e jornalista), Sâmia Bomfim (deputada federal PSOL-SP), Carina Vitral (presidenta da UJS), Natália Bonavides (deputada federal PT-RN).

Local: Auditório do Beijódromo (250 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.                         

18h às 20h Ato político em defesa da universidade pública e homenagem ao patrono da educação, Paulo Freire e aos fundadores da UnB, Joõa Goulart, Anísio Teixeira, Darcy Ribeiro e Oscar Niemayer.

Convidados(as): Márcia Abrahão Moura (reitora da Universidade de Brasília-UnB), João Vicente Fontella Goulart (filósofo e filho do ex-presidente João Goulart), Maria de Nazareth Gama e Silva (representante da Fundação Darcy Ribeiro-FUNDAR), Haroldo Lima (representante da Fundação Anísio Teixeira), Paulo Padilha (representante do Instituto Paulo Freire-IPF), (representante da Fundação Oscar Niemeyer).

Ementa: “Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda.” A frase é do mais célebre educador brasileiro, Paulo Freire, um dos homenageados neste ato político em defesa da universidade pública. Também serão homenageados neste ato os fundadores da Universidade de Brasília: importantes personalidades que trouxeram 11 contribuições valiosas para as áreas da Política, Educação e Arquitetura brasileiras. A UnB, que tem sido alvo de ataques do atual ministro da Educação, Abraham Weintraub, é um dos pólos de resistência contra os retrocessos do governo Bolsonaro. Local: Centro Comunitário Athos Bulcão da Universidade de Brasília-UnB.

 

22h às 0h – Festival da Democracia – Lula Livre

Bandas: Vera Veronika e ÀTTØØXXÁ.

Local: Ginásio Nilson Nelson.

 12 (sexta-feira) julho 2019

10h às 13h – Passeata – Não matem nosso futuro: educação, emprego e aposentadoria.

Local: Esplanada dos Ministérios.

 

15h às 17h – Grupos de discussão-GDs e Espaços Autogestionados

Tema 1: O que queremos do Circuito Universitário de Cultura e Arte da União Nacional dos Estudantes-CUCA da UNE?

Convidado(a): Priscila Lolata (professora do departamento de Artes da Universidade Federal da Bahia-UFBA e ex-coordenadora do CUCA da UNE), Fernando Sato (Jornalistas Livres) Local: Auditório XX do Instituto Central de Ciências-ICC da Universidade de Brasília-UnB.

Local: Auditório do Instituto Central de Ciências-ICC da Universidade de Brasília-UnB.

 

Tema 2: Encontro de empresas juniores.

Convidado(a): Renan Nishimoto (Brasil Junior), Yuri Oliveira Trigo (Federação das Empresas Juniores do Estado de São Paulo-Fejesp), Camila Modanez.

Local: Auditório do Departamento de Engenharia Mecânica (150 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 3: Encontro de atléticas.

Convidado(a): Gabriel Rodrigues (Atlética da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais-PUC MG), Davidson Magalhães (secretário estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte da Bahia).

Local: Auditório 16 do Instituto Central de Ciências-ICC (120 lugares) da Universidade de Brasília-UnB

Tema 4: Encontro de grupos de extensão.

Convidado(a): Alexandre Pilati (diretor do decanato de Extensão da UnB).

Local: Auditório 15 do Instituto Central de Ciências-ICC (120 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 5: Plenária da Campanha Lula Livre.

Convidado(a): Comitê Lula Livre.

Local: Auditório 9 do Instituto Central de Ciências-ICC (248 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 6: A constituição brasileira e o estado democrático de direito sob ataque.

Convidado(a): Aldo Arantes (ex-presidente da UNE e representante dos Advogados pela Democracia, Justiça e Cidadania-ADJC), Tânia Maria de Oliveira (Representante da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia-ABJD), João Paulo de Faria Santos (representante da Associação dos Procuradores Democráticos-APD), Jorge Rubem Folena de Oliveira(representante do Instituto dos Advogados Brasileiros-IAB).

Local: Auditório 13 do Instituto Central de Ciências-ICC (171 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 7: Saúde e democracia – Conferência Livre da 16ª Conferência Nacional de Saúde-CNS.

Convidado(a): Lucia Souto (presidente da Centro Brasileiro de Estudos de Saúde-CEBES), Antônio Lacerda Souto (representante do Conselho Nacional de Saúde-CNS), Ronald Ferreira dos Santos (presidente da Federação Nacional dos Farmacêuticos), Francini Lube Gauizardi (representante Fundação Oswaldo Cruz-Fiocruz).

Local: Auditório do Instituto de Letras (120 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 8: Educação e democracia: entre participação e autoritarismo. Convidado(a): Fábio Fonseca (reitor eleito e não empossado da Universidade Federal do Triângulo Mineiro-UFTM), Etienne Biasotto (reitor eleito e não empossado da Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD), Leonardo Villela de Castro (reitor eleito e não empossado da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro-Unirio).

Local: Auditório Faculdade de Direito (180 lugares) do Instituto Central de Ciências-ICC da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 9: Educação privada.

Convidado(a): Thaís Bernardes (advogada da UNE), Deborah Duprat (Jurista e membra o Ministério Público Federal).

Local: Auditório 10 do Instituto Central de Ciências-ICC (162 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

 Tema 10: Movimento estudantil.

Local: Auditório do Instituto Central de Ciências-ICC da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 11: Movimento estudantil.

Local: Auditório do Instituto Central de Ciências-ICC da Universidade de Brasília-UnB.

Tema 12: Movimento estudantil.

Local: Auditório do Instituto de Ciências Sociais (96 lugares) da Universidade de Brasília-UnB.

18h às 20h – Ato Em Defesa da Democracia e da Liberdade de Lula.

Convidado(a): Comitê Lula Livre. Local: Teatro de Arena da Universidade de Brasília-UnB.

18h às 20h – Festival da Democracia – Professor Cancellier.

Filme:  Espero tua (re)volta. Convidado(a): Eliza Capai (diretora), Marcela Jesus, Lucas Penteado, Nayara Souza (elenco).

Um dos filmes brasileiros mais premiados do ano, “Espero tua (Re)volta” estreou no Festival de Berlim. O documentário começou a ser gravado no 56º Congresso da UNE e terá sua pré-estreia nacional no 57 Conune.

“Espero Tua (Re)volta” acompanha as lutas estudantis desde as marchas de 2013 até a vitória do presidente Jair Bolsonaro em 2018. Inspirada pela linguagem do próprio movimento, o filme é conduzido pela locução de três estudantes, representantes de eixos centrais da luta, que disputam a narrativa, explicitando conflitos do movimento e evidenciando sua complexidade.

Local: Centro Comunitário Athos Bulcão da Universidade de Brasília-UnB.

23h às 1h – Festival da Democracia – Professor Cancellier.

Bandas: RAPadura e Duda Beat.

Local: Ginásio Nilson Nelson. 

13 (sábado) julho 2019

10h às 12h – Ato político em homenagem aos 40 anos do Congresso de Reconstrução da UNE – Salvador 1979.

Convidados(as): Milton Guran (antropólogo e fotógrafo brasileiro), José Serra, 1980-1981: Aldo Rebelo, 1980-1981: Alon Feuerwerker, 1981-1982: Javier Alfaya, 1982-1983: Acildon de Matos Paes, 1986-1987: Gisela Mendonça, 1987-1988: Valmir Santos, 1988-1989: Juliano Corbellini, 1989-1991: Cláudio Langone, 1991-1992: Patricia de Angelis, 1997-1999: Ricardo Garcia Cappelli, 2003-2007: Gustavo Lemos Petta, 2007-2009: Lúcia Stumpf, 2009-2011: Augusto Chagas, 2011-2013: Daniel Iliescu, 2013-2015: Virgínia “Vic” Barros, 2015-2017: Carina Vitral e Moara Correa Saboia (Interina de Agosto a Outubro).

Ementa: Reprimida e colocada na ilegalidade pelos militares durante a ditadura, a União Nacional dos Estudantes continuaria resistindo nas sombras do regime até que, em 1979, há exatos 40 anos, realizaria o Congresso que marcou a sua reconstrução, em Salvador. Este ato político reúne importantes nomes, cujas histórias se entrelaçam com a história da entidade, e irão trazer à tona os momentos mais marcantes da trajetória da UNE que fizeram dela a entidade que é hoje.

Local: Ginásio Nilson Nelson

12h às 18h – Plenária final (votação de conjuntura, educação e movimento estudantil)

Local: Ginásio Nilson Nelson.

21h às 23h – Festival da Democracia – Marielle

Convidada: Monica Benicio (ativista dos direitos humanos e viúva de Marielle Franco). Bandas: Leci Brandão e Grêmio Recreativo Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira.

Local: Ginásio Nilson Nelson.

 

21h às 23h – Festival da Democracia – Marielle

Local: Ginásio Nilson Nelson.

14 (domingo) julho 2019

10h às 18h – Plenária final (eleição da nova diretoria).

Local: Ginásio Nilson Nelson.

* Cobertura colaborativa permanente de todas as atividade.

** Exposição 15M e 30M (30 fotos).

*** Ateliê coletivo Espaço CUCA quinta-feira e sexta-feira de 10h às 20h.

**** Oficina Teciteca e Divisor quarta-feira e quinta-feira de 10h às 17h.

Serviço:

O que? 57º Congresso da UNE

Quando? 10 a 14 de Julho de 2019.

Onde? Universidade de Brasília (Campus Universitário Darcy Ribeiro, Asa Norte)  e Ginásio Nilson Nelson (Eixo Monumental).

> Saiba mais como participar AQUI.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo