Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Mostra de Extensão da 11ª Bienal vai mostrar regionalidades diversas

08/01/2019 às 16:43, por Cristiane Tada.


Curadoria quer destacar trabalhos que valorizem os saberes populares; inscrições estão abertas até dia 10/1 e vão selecionar 15 iniciativas

Em 2019 a Mostra de Extensão da 11º Bienal da UNE – Festival dos Estudantes vai homenagear o sociólogo português Boaventura De Sousa Santos. Ele é convidado especial do evento para discutir especialmente o tema do seu livro “A universidade do Século XXI: para uma Reforma Democrática e Emancipatória da Universidade, lançado no Brasil em 2004.

“O livro sintetiza o que ele vem discutindo nos últimos vinte anos que são os processos de saberes populares ocuparem a universidade. Diferente das outras mostras que homenageiam pessoas ou movimentos que tiveram começo, meio e fim e dessa forma conseguimos fazer uma análise completa, esse processo de “extensão reversa” que o Boaventura já utilizou em algumas palestras, é um movimento que está despontando ainda e destaca a importância da extensão nessa universidade que estamos construindo no século 21”, destacou a coordenadora da Mostra, Paola Soccas estudante de Arquitetura e Urbanista da Unesc.

Extensão reversa é quando a comunidade disputa os saberes científicos que são ensinados dentro da universidade, como por exemplo, na Universidade Federal da Bahia (UFBA). Na instituição de ensino que vai receber a Bienal de 06 a 10 de fevereiro, existem professores que na realidade são mestres de comunidades que trabalham lecionando na universidade e são remunerados assim como professores e doutores.

De acordo com Paola quando olhamos os processos para a Extensão no Brasil compreendemos que ela começa num formato muito mais assistencialista que vai para a comunidade e presta algum tipo de serviço.

“O momento que vivemos agora percebemos que as comunidades começam a se autogerir, por isso diferente das outras mostras na mostra convidada de Extensão estamos propondo uma feira da economia viva que também entra nessa temática de além das comunidades estarem construindo junto a narrativa da universidade com um saber tão consolidado com o científico ela começa a ser sustentável, gerar renda, e promover novos processos de troca além da relação de venda e compra”, explicou.

Feira da Economia Viva e mostra selecionada

A Feira da Economia Viva está com uma chamada pública aberta até dia 21 de Janeiro para quem faz artesanato e produz no seu Estado possa participar assim como artesãos da Bahia para comercializarem os seus trabalhos. “Durante a feira estamos pensando em alguns formatos de promover discussões sobre essa economia viva, economia solidária que aqui na Bahia ela é muito bem consolidada pela Secretaria do Trabalho, Renda e Esporte. Para fortalecer esse movimento de empoderamento das comunidades a ponto de disputarem o mercado local”, ressaltou Paola.

Quer inscrever para participar da Feira? Inscreva-se AQUI. 

Ela ressalta que tanto dos critérios para participar da feira e da mostra selecionada vão girar em torno do quanto que o projeto consegue se alinhar aos saberes da comunidade nesse processo delas estarem se emancipando dentro dessas questões da extensão reversa, o impacto social do projeto, do quanto ele se propõe para entender a realidade do lugar para depois atuar.

Na Mostra Selecionada serão expostos cinco projetos selecionados por dia na UFBA Ondina, totalizando 15 projetos de Extensão.→ Confira o regulamento da 11º Bienal da UNE. 

A coordenadora destacou a boa quantidade de inscrições a partir da divulgação por parte do Fórum de Pro-reitores de Extensão das Instituições Públicas, e a diversidade das aplicações: “estão chegando projetos de todo o tipo, a Extensão acaba sendo bem abrangente desde a área de Saúde, Educação, Comunicação, mescla mais assistencialista, princípios freirianos, outras já se aventuram nesse processo da Extensão reversa”.

E completa sobre a expectativa para os selecionados: “O que a gente espera é que minimamente a gente consiga mostrar um pouco dos projetos que temos no Brasil todo e o que parece é que a regionalidade é muito forte, a abordagem que o projeto tem varia muito dependendo do Estado e das próprias discussões que a universidade traz, desde os cursos que se juntam ou não se juntam. Então esperamos efervescência, pessoas dispostas a discutir os rumos da universidade, o papel do extensionista enquanto pessoa e formação cidadã nesse retorno que a universidade tem que dar para a sociedade”.

SERVIÇO

O que? 11ª Bienal da UNE – Festival dos Estudantes.
Quando? 6 a 10 de fevereiro de 2019.
Onde? Universidade Federal da Bahia (UFBA), em Salvador.
Mais informações aqui. 

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo