Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Leia todas as edições de “A Novidade”, o informativo da 11º Bienal da UNE

28/02/2019 às 16:46, por Redação .


Informativo buscou inspiração em Gil para informar, questionar e divertir

No colo do artista recarregamos a alma. A frase que dá início ao manifesto da 11ª Bienal tem referência direta com o tema da edição ‘’Gilberto Gil, um reencontro com o Brasil’’. Em solo baiano, palco de reconstrução desta entidade estudantil há 40 anos, buscamos inspiração no músico que revolucionou a poesia e mostrou ao mundo inteiro a força e a magia da baianidade.

Com o jornal, não podia ser diferente. A Novidade buscou na canção de mesmo nome, escrita por Gil e pelos Paralamas do Sucesso nos idos dos anos 80,  o entusiasmo para abordar assuntos caros à juventude que serão destacados ao longo do festival. Educação, política, saúde, economia, cultura e segurança pública serão debatidos em meio às oficinas, mostras, apresentações de música e teatro.

‘’A Novidade é a fé na festa. A Novidade é a luta com alegria, assim como os versos de Gil nos convidam a refletir sobre a desigualdade e miséria cantadas num ritmo contagiante construído pela guitarra de Herbert Vianna’’, explicou a presidenta da UNE Marianna Dias.

A ideia do nome do jornal, aliás, veio dela. ‘’Queria algo que representasse essa nossa Bienal tão emblemática em Salvador, e já que estamos homenageando Gil, o título da canção caiu como uma luva para levar aos estudantes as novidades do festival e mostrar ao mundo nossas ideias para a construção de um Brasil melhor’’, falou.

Você sabia? 

A música ‘’A Novidade’’ faz parte do disco ‘’Selvagem’’, lançado em 1986 pelos Paralamas do Sucesso. A parte instrumental da música foi enviada à Gilberto Gil a pedido de Herbert Vianna. Assim que recebeu a fita, Gil a escutou por quatro horas e então teve a ideia. Escrevendo em um quarto de hotel com visão para o mar em Florianópolis, o cantor e compositor baiano avistou ali a sereia dos primeiros versos.

“O tema da desigualdade sempre fez parte do modo de inserção da minha geração na discussão dos problemas da sociedade; do nosso desejo de expressá-los. Em A Novidade, a imagem da sereia é que dá a partida para o tratamento da questão; a novidade é essa. Pode-se imediatamente pensar no Brasil, mas é sobre o Terceiro Mundo em geral; sobre todo o ‘mundo tão desigual’, mesmo, de que fala o refrão’’, explicou Gil à época do lançamento.

Edição do dia 07 de Fevereiro:

 

Edição do dia 08 de Fevereiro:

Edição do dia 09 de Fevereiro:

Edição do dia 10 de Fevereiro:

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo