Inscrições para o 9º Encontro de Mulheres Estudantes da UNE estão abertas

De 10 a 12 de Abril feministas de todo o Brasil vão debater assuntos com o como raça, classe, violência, trabalho, saúde, gênero, política e educação

De 10 a 12 de Abril feministas de todo o Brasil vão debater assuntos com o como raça, classe, violência, trabalho, saúde, gênero, política e educação

 Nos próximos dia 10 a 12 de abril, mulheres estudantes de todo o Brasil se reúnem na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) em Vitória para o 9º Encontro das Mulheres Estudantes da UNE (EME).

As inscrições para mulheres estudantes estão abertas ⇒AQUI. Todas as mulheres estudantes, vinculadas ou não a correntes ou coletivos feministas podem participar.

A inscrição custa R$50 e cotistas e bolsistas tem 40% de desconto. Mães estudantes poderão levar as crianças e haverá uma creche colaborativa. O pagamento dá direito a alimentação e participação em toda a programação como discussões, debates, e atividades culturais durante os três dias.

Sob o tema “Resistir para transformar: mulheres feministas em defesa da educação e soberania dos povos”, estudantes de universidades públicas e privadas de todas as regiões do país vão discutir como sobreviver e transformar o mundo com justiça, igualdade e liberdade. Para a diretora de Mulheres da entidade, Elaine Monteiro, as mulheres estão no centro do enfrentamento ao autoritarismo e precisam organizar a resistência popular.

“Na sua 9 edição o EME se soma na luta em defesa da educação pública e se propõe a dialogar com a luta internacional feminista, onde apresentamos como chamado a defesa da soberania popular. Isso significa defesa de uma vida digna: sem violência contra as mulheres ou feminicídio, sem controle da nossa sexualidade e corpos, não militarização dos nossos territórios e defesa dos nossos bens comuns e empresas estatais”, destacou.

Além disso, nacionalmente a preocupação está no ataque diário da educação pública, as professoras e os professores pelo governo Bolsonaro. “Eles querem cortar ainda mais o investimento em creches, pré-escolas e ensino fundamental! Isso afetará diretamente a vida das mulheres, que dependem da creche e ensino infantil para poder trabalhar fora de casa. Por isso, estamos mobilizadas”, afirmou.

15 anos de EME da UNE

Em mais de 80 anos de história a UNE incorporou o feminismo, o combate ao racismo, o combate a LGBTfobia como questões centrais para entidade e se colocou na linha de frente dessas lutas. Esse processo colocou na agenda da entidade o Encontro de Mulheres Estudantes (EME), espaço fundamental para debater pautas como raça, classe, violência, trabalho, saúde, gênero, política e educação.

O EME da UNE já tem 15 anos de história. O primeiro foi realizado às vésperas do 8 de Março de 2005 na capital paulista. A última edição “8º Eme da UNE Marielle Franco” foi realizada em Março de 2018 na UFJF reuniu mais de 3 mil estudantes, foi presidida por uma mesa diretora toda de mulheres feministas e recebeu convidadas como a então candidata à presidência Manuela D’Avila (PCdoB), a vereadora de Niterói Talita Perone (Psol-RJ) e a deputada federal Margarida Salomão (PT-MG).

 

Compartilhar: