Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Declarações de Weintraub colecionam notas de repúdio

25/11/2019 às 18:11, por Renata Bars.


Universidades e entidades ligadas a educação rebateram as acusações feitas pelo ministro na última sexta-feira (22)

As polêmicas declarações dadas pelo ministro da educação Abraham Weintraub na última sexta-feira (22) já colecionam notas de repúdio. Ao afirmar, sem provas, que há “plantações extensivas de maconha” nas universidades federais e ao acusar os laboratórios de química do ‘’desenvolvimento de drogas sintéticas’’ o ministro recebeu diversas críticas que prometem tomar proporções jurídicas.

”Se o Sr. Ministro, enquanto autoridade pública, efetivamente sabe de fatos concretos, sem, todavia, apontar e denunciar às autoridades competentes de modo específico onde e como ocorrem, preferindo antes usá-los como instrumento de difamação genérica contra todas as universidades federais brasileiras, poderá estar cometendo crime de prevaricação. Assim, diante dessas declarações desconcertantes, a ANDIFES está tomando as providências jurídicas cabíveis para apurar eventual cometimento de crime de responsabilidade, improbidade, difamação ou prevaricação”, diz nota divulgada pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior.

A Academia Brasileira de Ciências (ABC) lamentou a postura de Weintraub e classificou como ‘’calúnia’’ o conteúdo das declarações.

”É lamentável, assim, que o titular do Ministério da Educação, um dos mais importantes do país, vilipendie e calunie esse grande patrimônio nacional, propagando denúncias não fundamentadas, que atingem brasileiros empenhados na construção do futuro do Brasil. Com essa atitude, desmerece o cargo que ocupa. Deveria, pelo contrário, estimular os jovens a prosseguir em seus estudos e a ingressar nas instituições que ataca”, diz o documento.

A Sociedade Brasileira de Química (SBQ), a Universidade de Brasília (UnB) e o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) também divulgaram nota repudiando as falas do ministro.

Mestre das polêmicas

As redes sociais do ministro da educação vêm há tempos sendo fonte de polêmicas devido ao seu teor agressivo.

Entre os textos, a afirmação de que Paulo Freire seria ‘’muito feio’’ e serviria de decoração para o ‘’dia das bruxas’’, xingamentos direcionados a seguidores e desrespeito com manifestantes são destaque.

Para o presidente da UNE Iago Montalvão as acusações feitas pelo ministro na última sexta passaram dos limites.

”Ele deve responder pelas ofensas e mentiras que faz sobre as universidades.  Ofender nossa educação, resumindo de forma preconceituosa e oportunista as universidades à “madrastas da doutrinação” e locais de produção de drogas é um imenso desrespeito com nossos professores e estudantes”, disse.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo