Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

Notícias

Últimas Notícias

Andifes aciona justiça contra ataques de Weintraub às universidades

05/12/2019 às 17:16, por Renata Bars.


Ministro da educação afirmou que haveria plantações de drogas nas federais brasileiras

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições de Ensino Superior (Andifes) entrou na Justiça na última quarta-feira (4) para pedir que o ministro da Educação Abraham Weintraub, explique suas afirmações de que há “plantação de ervas para produção de drogas” nas universidades federais brasileiras.

O ministro também foi convocado a comparecer na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados para prestar esclarecimentos.

As declarações aconteceram durante uma entrevista ao canal do YouTube do Jornal da Cidade no último dia 22 de novembro. Sem apresentar provas, Weintraub afirmou que algumas universidades teriam “plantações extensivas” de maconha e ainda que haveria produção de drogas sintéticas em laboratórios de química.

“Então o que você tem? Você tem plantações de maconha, mas não é três pés de maconha, você tem plantações extensivas de maconha em algumas universidades,” disse o ministro.

Para a Andifes, as declarações ressaltam o ‘’teor depreciativo em relação às universidades federais, e em consequência a seus reitores”.

Na interpelação judicial, os reitores lembram que o ministro destacou, em sua conta pessoal no Twitter, alguns trechos da entrevista que concedeu ao Jornal da Cidade falando sobre as federais.

“As postagens indicadas pelo ministro como exemplo de prática de delitos nas universidades federais são, respectivamente, de 2017 e de maio deste ano de 2019, e citam a Universidade de Brasília e a Universidade Federal de Minas Gerais”, diz a Andifes.

Para o presidente da UNE Iago Montalvão, interpelar o ministro judicialmente foi uma decisão acertada e necessária.

‘’Ele tem que responder na justiça por essas ofensas que são graves. Por aqui, nós seguimos defendendo as universidades sempre’’, falou.

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo