15M no trending garante assinaturas para #AdiaEnem

Luta pelo adiamento segue firma na Justiça e nas redes

Na última sexta-feira (15/5) Dia Nacional de Mobilização pelo adiamento do Enem estudantes mobilizaram as redes sociais e levaram a hashtag #AdiaEnem aos assuntos mais comentados no twitter.

“Seguindo as orientações de saúde e segurança os estudantes mostraram que o #AdiaENEM é pauta principal na educação e que o #ForaBolsonaro e a saída do Weintraub do MEC são essenciais para a sobrevivência da Educação Pública Brasileira”, ressaltou o presidente da UNE, Iago Montalvão.

O twitaço sensibilizou também artistas, jovens youtubers que falam sobre estudo nos seus canais como Débora Aladim e Lucas Felpi , os apresentadores Maísa e Gregório Duvivier, e os atores Bruno Gagliasso, Fernanda Concon e Bruna Marquezine.

Com a mobilização os estudantes conseguiram chegar às 300 mil assinaturas do abaixo assinado que será entregue ao Ministério da Educação e também ao Ministério Público. Mas a coleta de assinaturas continua. >Assine aqui.

O MEC precisa se manifestar até hoje (18/5) por meio da Advocacia Geral da União (AGU) e o Instituto Nacional Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) em uma ação popular que pede a suspensão do calendário do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) por causa da pandemia do novo coronavírus.

Na última semana o Superior Tribunal de Justiça indeferiu o mandado de Segurança da UNE pedindo o adiamento do Enem. Mas as entidades estudantis permanecem na luta. “Já ingressamos com um novo na Justiça Federal do DF, que pode julgar o INEP”, afirmou Iago.


Um ano de Tsunami da Educação

Há exatamente um ano do Tsunami da Educação, os estudantes também relembraram nas redes as mobilizações que levaram mais de um milhão de estudantes para as ruas em 2019.

O DCE Honestino Guimarães junto com a UNE e as organizações do Movimento Estudantil realizaram na sexta uma intervenção em frente ao Ministério da Educação.

Compartilhar: