Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

UNE REPUDIA CAOS E VIOLÊNCIA INSTAURADA PELA PM DE SP NO PROTESTO DESTA QUINTA

A União Nacional dos Estudantes e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas divulgaram nota de repúdio condenando a ação da Polícia Militar de São Paulo em repressão aos protestos desta quinta-feira (13/06). Leia a íntegra:

POLÍCIA DE SP ESPALHA CAOS E VIOLÊNCIA INJUSTIFICÁVEIS NA CIDADE

A União Nacional dos Estudantes e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas condenam a agressão policial injustificável contra jovens ocorrida na noite desta quinta-feira, 13 de junho, em mais um protesto pelas ruas da capital paulista contra o aumento das passagens do transporte público.

A passeata, que teve início no Theatro Municipal e seguia de forma totalmente pacífica, com os manifestantes distribuindo flores, foi interrompida de maneira desproporcional pela Polícia Militar na rua da Consolação, na altura da Praça Rooselvelt, onde o protesto iria se encerrar. Truculenta, violenta e despreparada, a polícia formou um cerco e impediu a ocupação da Praça, dando início a agressões com bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha contra os jovens que estavam na passeata, atingindo também a população que passava pelo local.

A UNE e a UBES participaram da marcha e denunciam a ação criminosa da PM do Estado de São Paulo, que colocou em risco a integridade física não apenas dos integrantes da passeata, mas também do povo paulista.

Não é de hoje que a polícia do governador Geraldo Alckmin trata com violência e criminaliza os movimentos sociais. Atos isolados dentro de uma passeata de mais de 5 mil pessoas não são justificativas para o clima de terror que a PM tem imposto aos legítimos protestos contra o aumento da passagem na capital paulista.

Foi nas ruas que já conquistamos vitórias em Porto Alegre, Goiânia e Manaus, com revogações dos aumentos das passagens nessas capitais. Já no Rio de Janeiro, milhares tomaram as ruas e foram duramente reprimidos.

Essas movimentações em todo o Brasil são reflexos de uma precariedade e altos preços, problemas que precisam ser tratados de forma democrática, com diálogo e não com repressão. Seguiremos na luta pela paz, contra o aumento da tarifa, pela qualidade no transporte público e um Estado de São Paulo verdadeiramente democrático.

13 de junho de 2013.
União Nacional dos Estudantes – UNE
União Brasileira dos Estudantes Secundaristas – UBES
União Estadual dos Estudantes de São Paulo – UEE-SP
União Paulista dos Estudantes Secundaristas – UPES

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo