Pular para o conteúdo Pular para o Mapa do Site

SOB PRESSÃO DE ESTUDANTES, MERCADANTE ASSUME COMPROMISSOS COM AS FEDERAIS

Na última terça-feira (26/06), após a grande #marchadosestudantes que levou mais de 3 mil às ruas de Brasília em defesa da educação e da universidade brasileira, o ministro Aloizio Mercadante recebeu uma delegação de 70 estudantes para debater os problemas e as melhorias necessárias nas instituições de ensino.

Representantes de DCEs de 44 universidades, acompanhados da diretoria da UNE e da UBES, reclamaram a audiência e acabaram sendo recebidos. Foi a primeira vez que um grupo tão grande de representantes diretos do movimento estudantil nas universidades brasileiras conseguiu levar suas reivindicações pessoalmente para o ministro.

Contagem regressiva do movimento estudantil: estamos alertas!

O ponto mais importante do encontro foi a entrega de um relatório extenso e completo de reivindicações dos alunos de cada uma das instituições. A maioria diz respeito à ampliação da assistência estudantil, mais restaurantes universitários, creches, moradias, bolsas, além de melhorias na infra-estrutura, finalização de obras em prédios, laboratórios e bibliotecas. O ministro se comprometeu a analisar o relatório, repassá-lo aos reitores, criar uma comissão de acompanhamento e apresentar uma resposta aos estudantes dentro de 15 dias.

Além disso, Mercadante se disse comprometido, no mesmo prazo de 15 dias, com as seguintes medidas: ampliação do orçamento do PNAES – Plano Nacional de Assistência Estudantil para 2013; criação de linha de crédito específica para a construção de moradias e restaurantes universitários; convocação urgente de concurso público para a contratação de professores e técnico-administrativos para as universidades federais; criação de uma comissão de diagnóstico da infraestrutura das IFES com a participação dos estudantes a nível nacional e local; e conclusão das obras do REUNI.

Em outro momento, o ministro defendeu também a bandeira do movimento estudantil de reivindicação dos 50% dos royalties e do Fundo Social do Pré Sal para Educação, Ciência e Tecnologia.

A UNE e os membros dos DCEs prometeram cobrar o posicionamento dentro desse prazo, marcando, para 3 de julho, uma grande mobilização dentro das universidades de todo país.

“Assim como saímos às ruas hoje, os estudantes brasileiros estarão preparados para cobrar esses compromissos do Ministro, em 15 dias estaremos novamente nas ruas e em todas as universidades federais pressionando o governo por respostas concretas”, afirmou o presidente da UNE, Daniel Iliescu.

Grande parte das demandas apresentadas estão sendo exigidas também pela greve unificada nas federais brasileiras. Completando 39 dias de duração, e com 54 instituições paralisadas, a greve une professores, funcionários técnico-administrativos e estudantes na luta por uma educação de qualidade.

>> Leia aqui o documento apresentado pela UNE ao ministro Mercadante

>> Veja abaixo vídeo da TV Brasil sobre a marcha e a reunião com o ministro:

De Brasília, Rafael Minoro

Pular para o Conteúdo Pular para o Topo