Opinião: Assistência Estudantil para Prounistas – por Camila Moreno

Confira o artigo da Diretora de Assistência Estudantil da UNE sobre Assistência Estudantil para Prounistas

A União Nacional dos Estudantes sempre entendeu a educação como um direito de todos e todas e um dever do Estado. Para nós, a democratização do ensino no seu acesso e na sua permanência sempre foram eixos importantes para fazer da educação um fator de desenvolvimento e emancipação social. Somos da opinião de que a Universidade é estratégica para o desenvolvimento do país e de que o fortalecimento do seu caráter público é fundamental para que a educação superior brasileira possa produzir conhecimento e fazer pesquisa e extensão favoráveis a soberania da nação.

Nos últimos anos o número de estudantes do ensino superior privado cresceu e o Prouni foi responsável por incluir nessas instituições milhares de estudantes de baixa renda e consequentemente a demanda por políticas de permanência aumentou muito nas Instituições de Ensino Superior Privadas, que salvo algumas raras exceções, não há qualquer política de Assistência Estudantil. Assim, a evasão acaba sendo o caminho mais provável para um estudante de baixa renda. As dificuldades socioeconômicas, em especial a pressão para entrar no mercado de trabalho, são as principais causas da evasão dos estudantes universitários, que chega à taxa de 40% ao ano.

No auge do debate do Plano Nacional de Educação, com muita coragem e ousadia, a UNE lança a campanha: “A gente não quer só entrar, a gente quer permanecer” – Assistência Estudantil para os Estudantes do Prouni, que visa incluir essa importante emenda ao PNE, para garantir que esses estudantes, historicamente excluídos das salas de aula, tenham que deixar a universidade.

É importante assinalar que em um contexto de extrema desregulamentação do ensino superior privado, como é o brasileiro, faz-se necessário a criação de um sistema de assistência estudantil para os estudantes do Prouni com a garantia de restaurantes, transporte e moradias universitárias, com recursos orçamentários próprios. Também é fundamental instituir programa de bolsas permanência, pois apenas o pagamento das mensalidades não garante a permanência e o sucesso acadêmico.

Partimos do princípio de que as políticas de assistência estudantil devem ser vistas como um direito social e como a garantia política de cidadania e dignidade humana. Para tanto, deve estar inserida na práxis acadêmica, com ações articuladas com o ensino, a pesquisa e a extensão.

Temos o entendimento que a democrático e popular, a presença de política de permanência é fundamental para acabar com a evasão e as desigualdades sociais, acabando também com as concessões, favores, assistencialismo e clientelismo que ainda permeiam a educação brasileira.

Texto: Camila Moreno, Diretora de Assistência Estudantil da União Nacional dos Estudantes

Compartilhar:

2 comentários para "Opinião: Assistência Estudantil para Prounistas – por Camila Moreno"

  1. Ricardo Moreno disse:

    Mais do que acesso é permanência. Essa tem que ser a política do governo em termos de prioridade e a nossa luta, como vem sendo.

    • Douglas Wilian Pires Andrade disse:

      Sou bolsista integral do PROUNI no curso de medicina da Estácio de Sá no Rio de Janeiro. Deixei minha familia em Minas para estudar no Rio, e se não fosse a bolsa permanência eu jamais teria conseguido chegar até aqui ( penultimo ano do curso). Outras coisas que me ajudaram muito foi a chance de concorrer bolsas remuneradas ( 160 reais por mês me ajudou muito) de iniciação cientifica e monitoria na faculdade ( que consegui com muito esforço e estudo, e acho que essas bolsas têm que ser ampliadas para alunos do Prouni…). Mas às vesperas de me formar me deparo com outra dura realidade: os elevados custos da inscrição na residencia médica ( fora os de congressos e outras coisas “caras” que só a elite consegue pagar). Essas inscrições variam de 300 a 700 reais!! Custos autíssimos até em faculdades publicas, mesmo abatendo metade do valor na isenção….Espero que aja equidade com taxas não abusivas de inscrição na residência. Residência médica para todos!

Os comentários estão desabilitados.