A HISTÓRIA NÃO SE REPETIRÁ

Confira nota oficial da UNE sobre os ataques sofridos pela entidade

Confira nota oficial da UNE sobre os ataques sofridos pela entidade

Na manhã deste sábado (12), a sede das entidades estudantis, – UNE, UBES, UEE-SP, UPES e ANPG, localizada na capital do estado de São Paulo, amanheceu pichada com mensagens de ódio.

A UNE relembra que ”a última vez que isso aconteceu foi às vésperas do golpe militar, quando a casa do poder jovem, como era chamada a sede das entidades estudantis, na Praia do Flamengo – 132 – RJ, foi incendiada, sendo a primeira ação da ditadura militar, em 1964.”

Confira na íntegra nota oficial das entidades sobre o ocorrido:

A História não se repetirá

“Podem nos prender, podem nos matar, mas um dia voltaremos, e seremos milhões”. 
Honestino Guimarães

Nessa manhã do dia 12 de março de 2016, a sede das entidades estudantis – UNE, UBES, UEE-SP, UPES e ANPG, foi atacada com pichações agressivas, carregadas de ódio e intolerância.

A última vez que isso aconteceu foi às vésperas do golpe militar, quando a casa do poder jovem, como era chamada a sede das entidades estudantis, na Praia do Flamengo – 132 – RJ, foi incendiada, sendo a primeira ação da ditadura militar, em 1964. Escolheram a sede das Entidades, pois representava a trincheira da resistência, esperança e liberdade.

A democracia é uma conquista inegociável para os estudantes, que resistiram à ditadura militar, foram perseguidos, colocados na clandestinidade, muitos assassinados e desaparecidos. Porém, a repressão não impediu que lutassem e conquistassem a democracia, junto com o povo brasileiro.

A tentativa de, mais uma vez, interromper um ciclo democrático nos impõe a tarefa de defender a democracia, contra o golpe em curso. Repudiamos toda a ação violenta e qualquer tentativa que ameace a democracia e liberdade. Não nos curvaremos a mais esse ataque, seguiremos firmes na luta, junto com o povo, ocupando as ruas e avenidas por mais direitos.

Somos milhares de Honestinos e Heleniras, venceremos!

Compartilhar: